Mercado do Ovo

Informativo

Peste suína se alastra pela Ásia e setor de frangos vê crescimento forte no Brasil

02/10/2019

Estima-se que a peste suína africana tenha dizimado entre 35% e 40% do plantel de suínos na China, um dos países mais atingidos pelo vírus. Além da China, há relatos de que a doença tenha chegado em regiões da Rússia, do Timor Leste, da Coréia do Sul, das Filipinas, do Vietnã, da Romênia e da Hungria, aonde a doença atingiu javalis. 

Apesar da doença não ser um risco para os seres humanos, o abate dos animais tem trazido grandes impactos econômicos, já que a China é o maior produtor / consumidor de carne suína do mundo. Para Francisco Turra, presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), o abate dos animais na China representa 49% da produção global de carne suína. Dessa forma, nem com toda a capacidade de exportação de outros países produtores será possível atender a demanda pela carne. 

Segundo Turra, isso fará com que o país asiático procure com mais frequência outras fontes de proteína animal, o que deve beneficiar o Brasil. O presidente da ABPA acredita que o atual momento é uma oportunidade para o setor crescer e estima que as exportações de carne suína brasileira devam aumentar de 670 mil toneladas para 750 mil toneladas. Já para o setor de frango, o aumento nas exportações deve ser de 4 milhões de toneladas para 4,3 mi. de toneladas.

A produção maior de carnes fará com que a demanda interna por grãos aumente, já que eles são utilizados nas rações para os animais. Para Turra, isso dará mais estabilidade nos preços, principalmente para o milho, já que haverá disputa entre o consumo interno e a demanda externa.

Fonte: Notícias Agrícolas


Comentários


Ainda não temos nada digitado.. -

Comentários (0)


Mercado do Ovo - Todos os Direitos Reservados Contatos - Publicidade